A mente na Luz


Em tempos de transformação planetária é preciso que o homem da superfície da Terra tenha consciência que ele também deve buscar um conhecimento maior de si mesmo para ser parte atuante na concretização dessa transformação sem sermos alvo de um mal “maior” do que o necessário. Quanto mais elevada for a consciência e vigilância mental que o homem tiver de si, menos ele será uma presa das forças contrárias nesse processo evolutivo.

É preciso se manter na Luz. Mas reconheço ser esse um caminho que exige dedicação e vontade férrea para se libertarmos das armadilhas do ego. Muito material hoje felizmente está disponível para quem quiser compreender esse processo. E muita ferramenta tem sido transmitido pelos trabalhadores da Luz para que conscientemente o homem vá se despindo daquilo que não serve mais e tomando assim maior consciência de si mesmo. Como é o caso da utilização da Mesa Radiônica Quântica.

Trago hoje um texto extraído do livro: O Nascimento da Humanidade Futura, de Trigueirinho de 1993, por se tratar de um autor com várias publicações onde não me cansei de debruçar em seus ensinamentos.

“A percepção do tom, da intensidade e da qualidade de energias a serem usados em cada situação é um dos passos no caminho evolutivo. Rara é a consciência que neste planeta conseguiu absorver em si a sabedoria do correto relacionamento com as energias e a vida da manifestada, apesar de ser esse um dos eixos da balança entre a matéria e o espírito.

É preciso ausência de envolvimento com a sucessão de acontecimentos da vida externa para que se possa perceber com clareza em que grau e de que modo se deve relacionar com os fatos concretos. Sem a disposição para cortar os laços que retardam seu voo às alturas, a consciência poderá expressar boa vontade e uma vida preenchida de feitos meritórios, mas pouco consumará da profunda aspiração do espírito. Na proporção em que o indivíduo sacia apetites humanos, reduz-se a manifestação da obra espiritual por seu intermédio. Porém, parte da humanidade despertou para a realidade interior e está sendo levada a transcender a evolução material.

Desconhecida é a vastidão do que se possa no silêncio da atividade da energia transformadora em um ser. Mas, ainda que pouco se possa saber, conscientemente, da ação invisível da luz espiritual sobre os átomos do mundo concreto, deve-se ter presente que nada é impossível para o Absoluto. Assim, o que é consentido pela lei sempre se realiza.

Para que a consciência avance rumo à liberdade, é necessário fé. E, também, coragem e perseverança, aliadas à intrepidez. A essência penetra a ilusão das aparências, mas vive na eternidade. Guarda em si a chave da sabedoria, indica ao ser a trilha que o conduzirá do irreal ao real. O eu consciente deve amar essa essência com todas as suas forças; deve-se aprender a pensar no real, a focalizar a mente na Luz e a manter a atenção centrada por completo na infinita Fonte que nutre e sustém o universo, Fonte que conhece o início e o fim de todas as coisas.

A manifestação de uma obra tem como semente o pensamento. Antes de uma ação ser executada pelo homem, o corpo mental transfere ao corpo físico um estímulo. Do mesmo modo, cada expressão cósmica, seja um raio de luz, seja uma galáxia, origina-se de um “pensamento” da Fonte Criadora. Deveis descobrir o elo existente entre obra e pensamento. Porém para penetrar verdades mais profundas desse relacionamento, é preciso viver me nome da Lei Maior. Vereis, então , que o pensamento, arauto das obras, se transforma no mensageiro dessa Lei. Essa etapa aproxima-se, pois as emanações do mundo mental se tornarão expressões dos mares de fogo do espírito.

A participação do homem na renovação, no renascimento, na recriação da vida faz-se possível quando ele aprende a estar diante de tudo o que o cerca e do próprio mundo interior como pela primeira vez. O inédito é fruto do que transcendeu o efêmero e deitou raízes nos mundos imutáveis.Só dos altos cumes pode-se ver, inteira, a paisagem dos vales. Só alcançando estados eternos pode-se compreender a mutabilidade da vida e descobrir dela a infinita beleza.

Certas dispersões são inevitáveis nas fases preliminares do amadurecimento do homem. Porém, quando a lei o chama para que dela seja executor, é preciso determinação, firmeza e obediência inabaláveis.

Estamos numa época em que o homem é convocado a uma intensa participação no Plano Evolutivo. Para que a sua colaboração com a Hierarquia possa ocorrer de maneira efetiva, é necessário que afine sua sintonia com a meta espiritual e que selecione criteriosamente o que deve fazer parte de sua vida. O discípulo sabe que deve vibrar de modo estável em níveis puros e cristalinos e, com o uso da própria vontade, elevar-se além do psiquismo terrestre coletivo, hoje tão fortemente conturbado.

Dissolver os laços que atam a consciência a hábitos e vícios desta civilização decadente, ir além do que é possível para a maioria e despir-se de todo o supérfluo adquirido ao longo da existência exige vontade férrea. A aspiração transforma-se em serviço quando a consciência se torna capaz de usar a energia da vontade unicamente em direção à meta indicada pela Hierarquia.

A participação do homem no advento de uma nova Raça é essencialmente uma obra da vontade”.

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Instagram Social Icon